Mensagem de Maria Madalena - recebida por Maria João Alvares em 27 Novembro 2009 – Coimbra

27-01-2011 18:20

 Mensagem de Maria Madalena

recebida por Maria João Alvares em 27 Novembro 2009 – Espaço Rosas de Maria - Coimbra

 

 

Meus  muito amados mestres,

Eu sou Madalena, e venho da Essência da Rosa, que colocámos em cada um dos vossos corações, falar-vos de Amor.

Pode parecer estranho porque aqui venho falar disso, para dar continuidade aos trabalhos que aqui tiveram lugar no fim-de-semana passado em que a amada Kwan Yin , Mãe Maria, eu própria, a Rainha Sta. Isabel, Ísis, Mestre Nada, estivemos todas presentes para vos apoiar na vossa caminhada. Como alguns dos presentes sabem foi um fim-de semana fantástico – houve imenso Amor no ar. Todos sentiram aquilo que se estava a passar aqui e todas ainda sentem as consequências daquilo que aconteceu neste espaço.  Porque é assim mesmo quando o Amor se une, o Amor engrandece, o Amor expande, em alegria, em vibração. Pois essa é a essência e a verdade do Amor. E o Cálice, todas sabeis o que é o Cálice, a essência divina do feminino, aquela que guarda a vida, que dá a vida, que transmuta, que transcende a sua essência. Porque se a energia do feminino, uma capacidade imensa para amar, ao juntar-se à energia do masculino, à sua vibração complementar, consegue ultrapassar, surpreender a energia desse mesmo Amor. Pois como bem sabeis é no equilíbrio das duas que o Amor pode existir, que o Amor fica abrangente, que o Amor entra em cada um de vós.

Nós sabemos que é um conceito um pouco difícil de entender, este Amor que nós  sentimos, que nós vivemos e que todos vós aqui presentes desconfiam que sabem o que é. Em verdade vos digo que todos sabem realmente o que é o verdadeiro Amor! Por isso temos trabalhado em diversos portais para que a verdadeira energia do Amor flua através de nós para vós. Para que vós, a pouco e pouco, podeis reconhecer essas energias. E podeis entender que por vezes é necessário ir às lágrimas para deixar fluir, que por vezes é necessário deixar ir, por Amor, e que esse é realmente o maior acto de Amor que alguém pode dar e reconhecer ao outro – o entregar a energia a cada um, a responsabilidade da sua própria gestão, da sua própria Essência.

Esse é o verdadeiro Amor, o Amor da entrega, o Amor da aceitação, o Amor do respeito, o Amor da alegria, o Amor do  entendimento, e sabemos que esse é o mais difícil, também o Amor do desapego. Sim meus queridos, uma vez mais esse malfadado desapego, mas tão necessário para que todos vocês sintam o verdadeiro Amor. O desapego não é deixar simplesmente ir, o desapego é deixar ir com Amor e entendimento do processo, seja de coisas, de pessoas, de situações. Há uma expansão imensa das possibilidades quando o desapego é uma realidade. Nada nem ninguém é de ninguém. E vocês realmente não precisam de nada para serem o que são. Todos vós trabalhais em conjunto, estudais em conjunto, cresceis em conjunto – e isso é muito bom. E cada vez mais as vossas energias complementam-se, apoiam-se. Mas estai sempre atentos para não caírem nas armadilhas do apego.

Vocês vivem numa sociedade chamada consumista, por isso foi criado por diversas corporações, por diversos Estados para que o desenvolvimento económico pudesse acontecer. E, portanto, foi criada uma dinâmica dentro de vós - a dinâmica do apego, do “eu preciso ter”, “eu tenho”, “é minha propriedade”, mas agora todos vós sabeis que ninguém é de ninguém, nem sois realmente donos de nada, a não ser da vossa própria realidade, da vossa energia. Porque se nesta dimensão vocês têm uma casa, um carro, uma família, filhos, animais de estimação, noutra dimensão podem não ter absolutamente nada, e na outra ainda, têm tudo aquilo que vocês desejam. Porque na vossa energia vocês só precisam de pensar para ter, para ser. Vocês estão habituados a batalhar para conseguir alguma coisa. Mas todos os portais  que estão a ser abertos estão a tornar mais fácil a materialização de tudo aquilo que vocês  desejam - e estamos a falar de materialização porque vocês vivem ainda na 3ª dimensão, uma dimensão material, onde tudo é muito físico – onde vocês se tocam, vocês sentem com os sentidos físicos e necessitam de satisfazer esses sentidos. É perfeitamente natural e necessário para que vocês possam também por sua vez entender tudo aquilo que não é físico, e para que possam também reconhecer a diferença, pois só assim vocês podem também perceber agora o que é o desapego... o que é o entender que vocês realmente não precisam de nada para Ser, para Estar, para Viver e para Amar.

Por isso, eu disse que vos vinha falar de Amor, porque o Amor é precisamente isso – é o desapego total e absoluto de tudo aquilo que está fora de vós. E o desapego passa por respeito, por tudo aquilo que já sabeis muito bem, não há necessidade de voltar a repetir. E venho-vos dizer também  que muito brevemente, ainda durante o mês de Dezembro, serão abertos mais portais. O portal da Rosa  em que o Amor, o fluxo amoroso, vos irá inundar. E todo esse Amor irá provavelmente provocar mais algumas alterações nos vossos mundos, e eu falo em mundos porque a vossa realidade é multidimensional como bem sabeis. Não temam, não tenham medo de qualquer alteração que possa vir aí, pois se é Amor, se estes fluxos energéticos que vos enviamos são Amor, como é que algo que vos possa prejudicar poderá acontecer? Isso simplesmente não é possível, pois no Amor tudo existe, tudo é. Uma vez mais vos digo, entreguem-se aos processos, não os combatam.

Tentem transcender as vossas mentes físicas, ultrapassar o entendimento racional a que estais habituados – tentai ver para além dos limites, tentai ver com o coração. Peço-vos agora que foquem a vossa atenção de novo no vosso coração, nessa maravilhosa rosa que está dentro de cada um de vós. E vão ver que dela vão sair  pequeninas fadas, pequeninos seres, que muito diligentemente se vão espalhar pelo vosso corpo, espalhando as suas bênções em todas aquelas partes de vós que estão feridas, que estão magoadas,  que estão sofridas. Elas entram nas vossas moléculas, no vosso DNA e amam cada parte de vós. Sintam como elas abraçam os vossos órgãos, como elas amam cada ferida, como elas beijam cada dor, cada amargura, como elas plantam um belo jardim onde havia uma ferida. Gaia está-nos a trazer de novo as suas filhas, todos os seres  que nos ajudaram tanto noutras épocas e que por medo, por ignorância do homem, tiveram de passar a outras dimensões mais etéricas para sobreviver, porque nós aqui na Terra deixámos de merecer tê-los connosco, mas esse merecimento  está a voltar aos nossos corações.

Quando nós abrimos o nosso coração a todas as possibilidades, estes pequenos e maravilhosos seres voltam ao nosso mundo, à nossa vida! Aceitem-nos, eles são parte de vós, eles amam-vos incondicionalmente como nós vos amamos. Eu hoje  trago-lhes essencialmente a energia da Mãe, a minha energia criadora, mas todos os nossos companheiros masculinos estão aqui também. É estranho dizer que eles são masculinos, pois a sua essência já é tão equilibradamente masculina e feminina, como a nossa própria, que todos nós somos já representação do Deus e da Deusa. Mas para vocês eles ainda incorporam, representam a energia masculina – o Arcanjo Miguel, Saint Germain , Kuthumi, Maitreya, El Morya, Samuel, Sananda –, todos estão aqui presentes para vos amarem, junto connosco, os seus complementos divinos, para trazer ao vosso coração a Energia da Rosa, a Energia da Perfeição Divina, do Amor, da Transcendência, da Pureza.

Aceitem cada um  nós dentro dos vossos corações. E entendam, amem os vossos processos, não os combatam. Sabemos que o caminho da ascensão, a recuperação da vossa energia, da vossa essência, não é um caminho fácil, mas é tão maravilhoso, é tão maravilhoso ver o que vocês já conquistaram, o quão perto estão de chegar a casa.  Amem todas as partes de vós, aquelas que conhecem e mesmo aquelas que não conhecem. Não duvidem daquilo que são, não duvidem de onde estão, para onde estão a ir. E amem tudo aquilo que vos acontece, tudo aquilo que vocês têm, tudo aquilo que vocês são. Mas lembrem-se, amor não é apego, amor simplesmente é Amor. Portanto, meus queridos, minhas queridas, aceitem uma vez mais o amor no vosso coração. Cada um dos meus companheiros vos oferece uma rosa, coloca junto àquela que eu coloquei no vosso coração, para formar um maravilhoso ramo que contém todas as possibilidades, todas as sementes daquilo que vocês podem ser, vão ser e já são.  Arranjem num cantinho do vosso coração um altar para estas flores e amem cada rosa, cada parte de vós. Quando tiverem alguma dor, sentirem algum remorso olhem para uma rosa, coloquem lá o vosso amor e entreguem. Coloquem nesta jarra para que ela fique junto aos seus e possa desabrochar, para em conjunto se elevar à sua essência cristalina divina. Fiquem em paz meus amados, fiquem no amor que nos une.

Eu sou Madalena e amo-vos incondicionalmente,

Assim é! 

—————

Voltar