Na companhia dos Mestres - Melkizedech por Guilene Lopes

11-04-2011 15:10

                     Na companhia dos Mestres

 

Nós nunca estamos sós. Nunca! Estamos sempre acompanhados por Seres de Luz, de todos os quadrantes; maravilhosos, deslumbrantes, que olham por nós e nos guiam, as nossas acções, os nossos pensamentos, mas sem nunca, por um segundo sequer interferirem no nosso livre arbítrio. O amor deles é livre e incondicional, por isso eles podem dar-nos ideias, inspirar-nos, mas nunca interferem no nosso livre arbítrio, na nossa liberdade de escolha, de pensamento, de acção. E isso apenas demonstra o quanto nos amam e nos respeitam, mas ao mesmo tempo nos responsabilizam pelas nossas tomadas de decisão, pelas nossas escolhas.

O amor é isso mesmo. É mesmo assim. Tem de ser mesmo assim, livre, incondicional, respeitador, aberto. Só assim pode haver escolhas. Só um coração verdadeiramente livre pode escolher em verdade, em harmonia, em justiça, em plenitude. E é isso mesmo que é o verdadeiro amor, o amor incondicional: liberdade, verdade, escolha, responsabilidade e aceitação das consequências, dos efeitos provocados pelas nossas livres escolhas. É isso o verdadeiro amor, o amor divino, o amor livre e incondicional.

A tolerância, a compaixão, a verdade são atributos de Deus que estão disponíveis para todos nós, sempre e sempre que quisermos e necessitarmos. É um buffet variado que está sempre à disposição de quem dele necessitar, de quem necessitar de alimentar a alma e o espírito. É a beleza e a abundância de Deus, do seu amor, da sua palavra, da sua verdade. Sempre total, sempre grandiosa, sempre incorruptível, sempre infinita e abundante. É a verdade de tudo o que é, de tudo o que necessita ser e de tudo o que alguma vez será.

É a mais pura beleza e grandiosidade de Deus.

É o tudo e é o todo, para sempre.

Obrigado.

Que assim seja e assim é, para sempre. Graças a Deus.

Melkizedech

Sábado, 2 Abril, 2011

—————

Voltar